quinta-feira, 23 de novembro de 2017

CHAZEIRA // Um chá muito nobre em Gramado

Eloína Telho
Colunista de Chá do Gastronomix

Sou fã de seriados que abordam uma época específica. Quando se passam na Inglaterra, Escócia, seus castelos e mansões... Aquelas imagens, o clima, maneiras e sotaque, tudo me encanta. Passei muito tempo colada na TV, assistindo a Dowton Abbey, uma série britânica que harmoniza perfeitamente com xícaras de chá preto (#dicaquente)! Adorava me imaginar naquelas casas lindas, em meio à aristocracia inglesa, com chazinho servido a qualquer hora...

E se já era bom me imaginar naqueles lugares, pensa como foi me sentir em Dowton. Pois assim começo a descrição de minha experiência no chá da tarde incrível do Saint Andrews, um hotel seis estrelas que fica em Gramado/RS.

O hotel é inspirado em um castelo escocês e fica dentro de um condomínio fechado, a 2km do centrinho da cidade. Faz parte da rede "Relais et Chateaux", uma associação hoteleira que reúne estabelecimentos considerados únicos no mundo todo, em serviço, gastronomia,  atendimento e excelência (ou "alegria de viver", como diz a própria associação). Conta com onze quartos no prédio principal (Saint Andrews Castle) e oito novos quartos no prédio anexo (Saint Andrews Mountain), todos diferentes uns dos outros e com vista de tirar o fôlego para o Vale do Quilombo. E você ainda pode ir até o mirante para se sentir nas nuvens! 
Olha esse hotel!
O chá é servido no gazebo em frente ao prédio original, voltado para o jardim, mediante reserva. A princípio, é servido apenas para hóspedes, mas havendo vagas, abre-se oportunidade para visitantes.

Só a entrada no hotel já é uma cena de filme. O jardim vai surgindo aos pouquinhos à sua frente e, de repente, você avista o mordomo a postos na entrada do castelo. Um "uau" é inevitável!

Apesar de tanto luxo e exclusividade, em momento algum você se sente desconfortável, pelo contrário! A recepção é super acolhedora, a equipe  faz questão de mostrar todas as instalações, explicar o serviço, com alegria e simpatia peculiares dos gaúchos. Na culinária, o chef mineiro André Soares opta por ingredientes orgânicos e regionais; além disso, as ervas das infusões são cultivadas ali mesmo, em uma pequena horta. Da terra para a xícara, com perfume de cuidado.  
Com essa vista, até as plantinhas crescem mais felizes na horta, né?
O chá em si também é um espetáculo para os sentidos. No gazebo branco, que brilha diante do jardim, louça argentina e talheres de prata pousam sobre as mesas milimetricamente arrumadas. Três andares de guloseimas muito elegantes, como sanduichinhos de salmão gravlax, curado no próprio hotel, e "French Kiss", um doce surreal da Holic (confeitaria deliciosa de Canela!),  harmonizam com infusões (hortelã e erva cidreira foram as escolhas e chegaram fresquinhas aos bules!) e chás "Dammann Frères" (fui de Darjeeling, enquanto o marido correu para os sabores do Earl Grey). 
Torre de delícias. 
Infusão da horta... E o espumante do marido ali do ladinho!
Além disso tudo, um empratado quente, o melhor croque madame da vida, e um doce, um crepe suflê levíssimo, com ganache de chocolate e calda de maracujá, nos enlouqueceram. Como complemento, pode-se optar por uma taça de espumante ou champanhe, para o chá ficar bem chiquezinho. Se essa for a escolha, é fato que vai combinar com Carla Bruni, que cantava baixinho ao fundo, para enfeitar a tarde de sonho... 
Croque madame
O serviço? Primoroso, sem excessos. A gente chega a se sentir em casa e pensei até que poderia mesmo me chamar Eloína de Windsor. É tudo mágico, de verdade... E em um lugar mágico vale tudo, né?
Antes de nos despedirmos, demos mais uma voltinha pelo jardim, para gravar na mente aquela tarde linda. Por um breve, mas indescritível momento, fomos nobres à moda britânica, com direito a castelo, mordomo e chá.

O Rio Grande do Sul foi uma grata surpresa em locais charmosos para se tomar um chá. Aos pouquinhos, vou falar de outros lugares bem especiais, que conquistaram meu coração. Não se esqueça de me dizer se encontrar algo especial assim; é dividindo amores que mais gente vai poder ter experiências tão únicas e especiais!

Beijos e bons chás, com toda realeza a que temos direito! 
O quê? Chá da tarde "Royal Afternoon Tea", no Hotel Saint Andrews.
Onde? Rua das Flores, 171, Condomínio Vale do Bosque, Gramado, Rio Grande do Sul. Contato:  (54) 3295-7700; www.saintandrews.com.br; reservas@saintandrews.com.br.
Quando? Datas variáveis. Mediante reserva e pagamento prévio, de 16h30min às 18h30min. O ideal é se informar sobre a disponibilidade com antecedência.
Quanto? Em novembro/2017, por pessoa, R$ 90,00 (noventa reais); R$ 110,00 (cento e dez reais), com direito a uma taça de espumante; R$ 190,00 (cento e noventa reais), com direito a uma taça de champanhe. 

quarta-feira, 22 de novembro de 2017

ALMANHAC // Queijo Serra da Estrela: delícia maturada há séculos

Rosualdo Rodrigues
Colunista de Variedades do Gastronomix

Uma das coisas que impressionam em Portugal é a quantidade de delícias típicas num país de dimensões não tão extensas. São receitas à base de bacalhau, sardinha, polvo; vinhos, ginjinha; pastéis de nata, queijadas e… queijo da Serra da Estrela, claro.
Ele tem a casca dura e o interior derretido, para comer de colher. O sabor é rústico e com um toque acidulado. Difícil experimentar uma vez e não guardar na memória para todo o sempre.

Agora, você não faz ideia do trabalho que dá até chegar a tal delícia.

A Serra da Estrela é uma área montanhosa, no centro de Portugal, onde essa iguaria é produzida artesanalmente, a partir do leite de ovelhas da raça Bordaleira — originária daquela região. 
Rebanho de ovelhas da raça bordaleira na Serra da Estrela, centro de Portugal

Esse leite é obtido por ordenha manual, aquecido em banho-maria a temperatura próxima dos 28ºC e, em seguida, é coagulado por meio de uma infusão de cardo (Cynara cardunculus, L.), uma planta natural das terras mediterrâneas.

Leva cerca de 60 minutos para a coalhada estar pronta. Aí ela é colocada num molde de madeira, chamado cincho, onde é espremida com as mãos e mantida sob pressão livrar-se de todo o soro.

Pensa que acabou? Que nada! São mais 40 dias de maturação, feita em ambiente com cerca de 90% de umidade relativa e temperatura entre 6ºC e 12ºC. Nesse tempo, o queijo ainda tem que ser lavado e virado com frequência para a crosta se manter limpa e lisa. 

Depois de todo trabalhão, empacotadinho para consumo

Esse método é o mesmo utilizado há séculos. Encontram referências a ele já na época da ocupação romana na Península Ibérica (por volta de 19 a.C.). Um certo Columela, oficial do exército romano, descreve o processo de fabricação num escrito considerado o primeiro Tratado de Agricultura.

E em 1287, o rei D. Dinis I (1261-1325), de Portugal, criou o primeiro mercado de queijo, em Celorico da Beira, hoje considerada a capital do queijo da serra — embora ele seja produzido em outras cidades, como Fornos de Algodres, Gouveia, Manteigas, Oliveira do Hospital e Seia.

Fontes principais: Turismo do Centro; Ancose (Associação Nacional de Criadores de Ovinos da Serra da Estrela). Fotos: Turismo do Centro. 

terça-feira, 21 de novembro de 2017

GRÃO DO DIA // 1º workshop Grão do Dia de pintura com café

Alex Melo
Colunista de Café do Gastronomix 

Para comemorar e brindar as Festas de Fim de Ano que estão por vir, nós do Grão Do Dia convidamos a artista plástica Débora Santos para apresentar a arte e pintura com café em uma oficina de pintura que acontecerá no Chefs Especiais Café em São Paulo!

Isso tudo por meio de um Workshop de Pintura com Café que terá durante toda a aula o uso de 100% em blends de café e suas técnicas, em que os participantes pintarão enfeites para decorar uma árvore de natal. A oficina terá duração de 2h e será fornecido exclusivamente a todo o staff do Chefs Especiais Café, para crianças de qualquer idade e jovens que se inscreverem! Um evento totalmente inclusivo e gratuito!

Bacana, hein!!! Veja como se inscrever!
SOBRE CHEFS ESPECIAIS CAFÉ
O Chefs Especiais Café é a 1ª Cafeteria Inclusiva do Brasil atendida por pessoas com Síndrome de Down em um divertido estilo "Hardcore". Criado pelo INSTITUTO CHEFS ESPECIAIS como presente aos seus 11 anos de trabalho Inclusivo e como forma de inserir pessoas com Síndrome de Down no mercado de trabalho, proporcionando autonomia, oportunidades e sendo inspiração.

O estilo Hardcore vem inspirado no Motoclube In'Omertà, em que pretende dissolver o estigma de fragilidade, motivo pelo qual o símbolo da Caveira foi escolhido, representando a igualdade entre todos nós! 

SOBRE O WORKSHOP DE PINTURA DE CAFÉ
Nossa oficina de pintura com blends de café será totalmente gratuita, com o limite de até 50 alunos, e será ministrado pela artista plástica Débora Santos dentro do espaço da cafeteria do Chefs Especiais na Augusta. A Débora é pioneira na técnica Coffee Art aqui no Brasil, e já produziu centenas de quadros. 'Tudo que tem cor é possível transformar em tinta. Misturando pó de café e água consegui uma variedade maior de nuances e um monocromático elegante e refinado', comenta Débora ao falar de seu amor por esta arte.

Os inscritos pintarão enfeites natalinos que serão colocados na árvore de Natal. Estamos apenas solicitando 1 lata de leite em pó no momento da inscrição, e que será totalmente destinado à instituições carentes ligadas à cafeteria. Esperamos suas inscrições!

Por um mundo com mais cores, mais igualdade e mais inclusão social, por favor!
Veja detalhes de nosso 1° Workshop:

Data: 25.11.17 (em exatos 30 dias antes do Natal!)
Horário: 14h-16h
Inscrição: Contribuição com 1 lata de leite em pó
Local: Chefs Especiais Café - Rua Augusta, 2559 - Jardins
Forma de Inscrição: Envie um email para chefsespeciais@hotmail.com (no título digite Inscrição Workshop de Pintura com Café, e forneça no corpo do email seu nome, idade e telefone de contato)

Site Instituto Chefs Especiais
Site Chefs Especiais Café

Evento Facebook Agenda:
1º Workshop de Pintura Com Café no Chefs Especiais Café

Gostaram da ideia e tema do nosso Workshop?
Que acham de continuarmos com esse projeto e estendermos a oficina ao nosso público adulto em geral em outras épocas do ano? Se tiverem alguma sugestão, nos enviem, comentem!

Divulguem queridos coffee lovers, para que seja um sucesso e possamos partir para o próximo Workshop! E não deixem de marcar seus momentos cafezinho usando a hashtag #GraoDoDia. 

quinta-feira, 16 de novembro de 2017

CHAZEIRA // Na Tea Shop tem!

Eloína Telho
Colunista de Chá do Gastronomix

Minha relação com a Tea Shop começou, a princípio, pela internet. Em Brasília, até bem pouco tempo, tinha a maior dificuldade para achar bons chás a granel... As viagens e lojas virtuais acabavam me salvando na hora de renovar os estoques.

Mas aí, em dezembro do ano passado, recebi a notícia de que a Tea Shop, linda e fisicamente, chegaria à cidade. Pensa na felicidade da chazeira ao descobrir que haveria um lugarzinho para ver, sentir e provar todos os chazinhos antes de comprá-los? Momento de emoção.

Trazida ao DF por Clélia Brito e Renato Gabriel, dois queridos que você sempre vai encontrar por lá, a marca, que se instalou no Park Shopping, tem origem espanhola e foi fundada em 1990; hoje, tem 15 (quinze) lojas só no Brasil e mais de 70 (setenta) pelo mundo. Em sua carta, oferece mais de 120 (cento e vinte) variedades de chás e tisanas, todas provenientes da Ásia ou Europa (os blends, especialmente, são todos preparados na Alemanha).

O espaço físico foi pensado para garantir a melhor experiência na oportunidade da escolha. As latas e potes estão todos identificados, com breves explicações sobre origem e misturas, para a gente bater o olho e já ficar por ali, cheirando tudo, perdido e achado no mundo mágico das ervas. Pa-ra-í-so! E toda semana há dois tipos de chás para degustação, dispostos em bules nos balcões, uma opção quente e outra fria, para agradar gregos e troianos. 
Não é lindo? Melhor ainda é ver pessoalmente!
Chá para degustação

Há também acessórios bem legais, desenvolvidos especialmente para a marca, disponíveis para complementar a experiência. Se você comprar o matcha, por exemplo, que é o chá verde moído usado na cerimônia japonesa do chá, não precisa se preocupar em procurar chawan (o potinho para beber) ou chasen (o batedor específico, para misturar o chá à água, fazendo aquela espuminha especial); a Tea Shop tem! Você já sai de lá com o kit completo, para chegar em casa e só aproveitar o momento mágico. Há desde acessórios mais simples, como infusores, até os bules de ferro japoneses. Para presente, há mini latinhas de chás ou kits de degustação bem lindos. Você escolhe o que cabe no orçamento!

A loja ainda trabalha com o cartão de fidelidade – eu acho o máximo essa opção! Funciona assim: você ganha um cartão e, a cada R$ 40,00 (quarenta reais) em compras, a loja carimba nele um selo. Com  12 (doze) selos, você tem direito a escolher 50g (cinquenta gramas) de chá de até R$30,00 (trinta reais) e ganha uma latinha para armazená-lo. Para o “take away”, o copo de chá que você pede loja para ir tomando durante o passeio no shopping, também há um sistema próprio de fidelização: a cada 9 (nove) copos de chá, o décimo é por conta da casa. Legal, né?
Cartão fidelidade. Adoro!

Em 2017, houve também uma expansão das atividades da Tea Shop. Logo à frente, do lado de fora, a loja inaugurou um “espaço gourmet”, para quem quer fazer aquele lanchinho esperto com chá por ali mesmo. Além dos chás da marca, servidos quentes ou gelados, há comidinhas especiais.

Os pães de queijo e broas de milho, com carinha de casa de avó, são fornecidos pela mãe de Renato, Mirtes Gomes; as empanadas são da “La Porteña”, enquanto que os bolos e doces ficam por conta do chef Fernando Gadelha. Você também pode usar o espaço para fazer um evento fechado para convidados e eu garanto que vai ser um sucesso... Com chá, não tem como dar errado, não é mesmo?
Tea Shop ao fundo, espaço gourmet à frente. No dia da foto, havia um evento fechado para degustação de chás, sob a orientação de Clélia

 É da Tea Shop que sai o meu PuErh de todo dia, companheiro das tardes de trabalho, o meu matcha matinal, o rooibos preferido do marido... E mais alguns! Rs! Para quem está começando a tomar chás, a loja é uma excelente opção, pois tem blends suaves, para fazer despertar o paladar... E para quem já toma chás, também! Há opções incríveis de chás puros e também chás “premium”, especialíssimos, para fazer do seu momento mágico a hora especial do dia!

E você, o que me diz? Já passou pela loja? Como foi a sua experiência? Ficou só nos chás ou não se aguentou e saiu com acessórios lindos de lá (#soudessas)? Quero saber de tudo, sempre, adoro saber das novidades da sua vida chazeira!

Ah, se quiser me acompanhar pelo Instagram ou Facebook , lá estão as imagens que ilustram na prática tudo o que falamos por aqui, feitas a partir do meu #momentomágico: @chazeira (insta) ou @eloinachazeira (face). Te espero lá, pra não morrermos de saudade até a próxima quinta, certo?

Beijos e bons chazinhos! Ou boas infusões! Tudo em acessórios bem lindos, pra encher a vida de beleza, porque a gente merece.    

terça-feira, 14 de novembro de 2017

NOTÍCIAS // Os 6 melhores hambúrgueres de Brasília

Sebastián Parasole (*)
Convidado especial do Gastronomix

“Lembro nos anos 80´s, Buenos Aires..., Rua Florida..., quando visitei com meu tio Ricardo e primos o Fast-food, “Pumper Nic”, nunca esquecerei aquele Hambúrguer!!!

Para poder falar de hambúrgueres devemos citar duas histórias.

A primeira é sobre o sanduíche! Em 1760, o escritor francês Pierre Grosley relata que, em Londres, um ministro de Estado gostava de jogar baralho por dinheiro. Para não perder tempo na mesa de jogo, decidiu juntar duas fatias de pão com carne no meio. O ministro se chamava Lord Sandwich.

A segunda história é sobre a aparição do bife de Hamburgo nos cardápios de restaurantes alemães nos Estados Unidos nos anos 1870. Esse bife de Hamburgo era uma espécie de bolinho de carne triturada e temperada, popular na cidade alemã. Em 1872, se diz que nasce o primeiro carrinho de rua para fornecer alimentação para funcionários de fábricas.
Os carrinhos tinham grelhas e popularizaram o bife de Hamburgo com pão, facilitando comer em pé e de forma rápida. O bife de Hamburgo no pão virou um clássico nos Estados Unidos, transformando-se em prato típico do país em 1890. No ano de 1900 o nome "sanduíche de hambúrguer" abreviou para apenas "hambúrguer".

Em 1948, na cidade de San Bernardino, na Califórnia, aparece o primeiro drive-in. A loja conseguia servir uma refeição completa em 20 segundos, nascendo o Mister Mac! 

Após um longo período de idas e vindas, franquias e concorrência no Brasil, a partir dos anos 2000 nascem os hambúrgueres gourmet. Cozinheiros, chefs e amadores especialistas em misturas de carne, como fraldinha, picanha e filé mignon criam deliciosas iguarias que transformaram-se em joias, ocupando cardápios de restaurantes renomados do país.
Na procura dos melhores hambúrgueres do DF, me permiti comprar hambúrgueres de carne e duas fatias de pão. Nada de alface, cebola, tomate, queijo, ovos fritos, molhos secretos e/ou bacon...! Afinal, tudo com bacon fica bom!!! Acredito que os dois produtos mais importantes de um bom hambúrguer são a carne e o pão!

Os pontos importantes que levei em consideração nessa história de opinião pessoal são:

a) Só visitei casas exclusivas de hambúrgueres;

b) Os foodtrucks não contam, apenas estabelecimentos físicos;

c) A mistura de carnes, gordura, condimentos, cocção e técnica no fogo são os pontos fundamentais para a tão apreciada peça;

d) O pão deve ser leve e fofo, mas resistente e com corpo, tipo brioche, mais ou menos tostado, com ou sem sementes de gergelim, a critério da casa;

e) Toda compra foi feita para viagem, permitindo ver a suculência da carne e a textura do pão com o tempo de repouso até chegar em casa;
f) Cada loja visitada deveria ser de Brasília e com credibilidade em ser um produto artesanal;

g) O ponto da carne, quando questionado pelo atendente, sempre era "ao ponto". Se não, ficava a critério do cozinheiro. Infelizmente muitos hambúrgueres não estavam no ponto certo e/ou não tinham sabor ou sal, prejudicando o produto final. Apesar de algumas passarem do ponto, estavam suculentas e saborosas. 

Guiado pela imprensa local, prêmios e fanáticos desse prato tão popular, depois de visitar 16 estabelecimentos e ganhar um pouco mais barriga e colesterol, estes são os resultados:
Da esquerda para a direita, em grupos de 4 unidades.

Grupo 1 - ESQUERDA
Belgrado, (Asa Norte)
Three, (Asa Norte)
Houston, (Asa Norte)
Hamburgueria Do francês (Asa Norte)

Grupo 2 - DIREITA
Paprica, Asa Norte.
Geleia (aguas claras)
Jhonie, (Asa sul)
Marvin, (Lago Sul)

Grupo 3 - ESQUERDA
Parrilla burguer, (Asa sul)
Hum (Sudoeste),
Brazilian American burguers (Sudoeste)
Malibu, (Vicente Pires)

Grupo 4 - DIREITA
Bulls (Gama)
Secreto, (Aguas Claras),
Durango, Aguas Claras),
Cumarim, Aguas Claras), 

Por último, não esquecer que os pratos simples são os mais difíceis de executar. O paladar se educa e o cliente escolhe! Boa descoberta!  

Os vencedores, em ORDEM ALFABÉTICA, são:
- Cumarim (Águas Claras)

- Geleia (Águas Claras)

- Hum! (Sudoeste)

- Páprica (Asa Norte)

- Parrilla Burger, (Asa Sul)

- Secreto (Águas Claras)

(*) Sebastián Parasole é Coordenador Geral de Gastronomia do IESB.

GRÃO DO DIA // 5 cafés em Amsterdan – parte 1

Alex Melo (texto e fotos)
Colunista de Café do Gastronomix

Você sabia que holandês adora um café e que a Holanda é um país coffee-friendly?! Isso aí! Amsterdam, capital da Holanda, de nome derivado de Amstelredamme (represa do Rio Amstel), é um destino incrível para os viajantes e que vai desde a culinária à vida noturna, além de muita história e cultura! E claro, um roteiro perfeito para quem procura conhecer e degustar excelentes cafés! Tem um em cada esquina, é sensacional para uma maratona cafeeira.

Os cafés das koffie haus são próprios, mas principalmente importados de diversas partes do mundo inclusive do nosso Brasilzão! Isso mesmo, lá você encontra cafeterias com seus cafés de diferentes partes do globo em ambientes marcados por seu charme em  arquiteturas rústicas ou modernas, mas sempre aconchegantes! Lindas! Impossível não querer entrar para tomar um latte, um flat white ou um espresso que seja! =)

Confira com a gente 5 cafeterias incríveis em Amsterdam para se apreciar excelentes café preparados por profissionais em diferentes métodos, técnicas, dentro de ambientes encantadores!

1. PELICAN ROUGE 
Foi andando pela rua Westerstraat, conhecida pelo Mercado Westerstraat e o Pianola Museum, que conhecemos o Pelican Rouge Amsterdam, e o charme do lugar nos atraiu logo de cara! Rústico, aconchegante e super super convidativo!

No ambiente interno da cafeteria tem um balcão de madeira bem rústica com bancos individuais para tomar seu café apreciando a rua através de uma enorme janela de vidro. Na área externa, há a opções de banquinhos e uma pequena bancada. Pode levar também seu notebook, pois o local conta com wi-fi livre. Aliás, todas os cafés que conhecemos em AMS contam com internet grátis.

O atendimento foi bastante simpático! E na lojinha interna, diversas opções em grãos, canecas, Chemex, Bialettis e mini máquinas de espresso. Bem sortida! Vale à pena uma conferida, pois é nessas horas que a gente descobre algo que está faltando em nosso kit cafeeiro particular, hein?!

O cardápio, além dos cafés preparados em diferentes métodos: coado no Hario, Clever e espressos, contemplam os deliciosos lattes, flat whites e cappuccinos! Aprovadíssimos, e muito bem tirados pelo barista.

O forte por aqui é CAFÉ!

Onde fica: Westerstraat 3, 1015 LT Amsterdam, Países Baixos.
Facebook Pelican Rouge Amsterdam 

2. HET KOFFIE CULTUUR CENTRUM 

O Het Koffie Cultuur foi realmente uma grande boa surpresa e um ACHADO! Sério! Caminhando pelas ruas de Amsterdam, estávamos indo em direção à praca Dam Park, e voilà, esbarramos com chamadas na vitrine e placas de divulgação de cafés braileiros! Não deu outra, entramos para conferir!

O lugar possui opções de cafés (lattes, melanges, macchiatos..), grãos e doces. Os grãos são a maioria importados do Brasil e do continente Africano. A lojinha também conta com opções de máquinas de espresso à venda! E tem opção de café 'togo'.
 Para quem AMA os grãos do Brasil e quer tomar um cafezinho totalmente brasileiro, o lugar é perfeito para isso, e fica aqui a nossa dica: passem lá brasileiros! O ambiente é super aconchegante e intimista!

Com o café bem tirado pela barista do local, fiquei com um flat white delicioso. Valendo cada euro! rs

A lojinha conta com diferentes tipos de grãos: brasileiros, colombianos e africanos, além de máquinas de espresso, cafeteiras bialleti, Hario v60, prensas e canecas.

Onde fica: Nieuwezijds Voorburgwal 133, 1012 RJ Amsterdam, Países Baixos.
Site Het Koffie Cultuur Centrum

3. BRAND MEESTER´S 
O BrandMeester's, é uma cafeteria conhecida por seus cursos de barista, além de ser premiada em moagens e torras de grãos. Excelente para quem deseja tirar alguma certificação em técnicas no exterior e aperfeiçoar sua prática na área com cursos de reciclagem. Mas claro, tudo em dutch (ou inglês)! E olha, o cheiro do café é uma DELICIA! A gente sente o cheirinho de espresso da rua, literalmente!

O espaço é bacana, lembra uma pequena livraria com bastante livros e revistas e um balcão grande e duplo para uso de seu laptop ou apenas tomar seu cafezinho! Sem muitas firulas! Nos identificamos como blogueiros do GrãoDoDia e a barista ao final pediu nosso feedback do café que ela preparou! =) Bem simpático e excelente o atendimento. Ah, e também tem wifi gratuito no local.

Cardápio com cafés de diversos tipos de métodos de preparos, e com diferentes tipos de grãos, sem acompanhamentos. Lá eles servem café e dão cursos, ponto.

A localização é perfeita, pertinho do Vondelpark (um parque simplesmente delicioso para caminhar ou andar de bike - fizemos os dois! rs) e da Overtoom (rua é cheia de cafés, gastronomia, e lojas de bicicleta).

E como toda boa cafeteria de Amsterdam, dentro tem a lojinha, com diversas opções de canecas, cafeteiras e máquinas de espresso!

Onde fica: Van Baerlestraat 13, 1071 AM Amsterdam, Países Baixos.
Site BrandMeester's Koffie  
4. CAFÉ ´T SMALLE
Podemos dizer que o Café 'T Smalle fica literalmente em cima d'água! Isso mesmo, ele tem um deck com diversas mesinhas, com uma vista linda para um dos inúmeros canais da cidade. 

Com atendimento bacana e serviço de mesas normalmente lá fora. A gente pode sentar, aguardar o garçom e fazer o pedido. No dia que fomos, tomamos um café da manhã. Um latte macchiato com croissant e geleia de frutas vermelhas bem fresca. Perfeito!

O cardápio é bastante variado, com vários tipos de cafés e comidinhas para acompanhar, além de café da manhã e brunch.

A gente percebe que o local de esquina é uma instalação de uma autêntica Amsterdam de época! Provavelmente mantida e passada por gerações, e com muita história para contar. Sem falar que fica super próximo à Casa de Anne Frank (onde ela ficou escondida durante a II Guerra Mundial) e que hoje é transformada em um Museu de visitação (impossível deixar de conhecer)!

Destaque da cafeteria para a vista privilegiada da cidade que nos remete a um ambiente de época, rústico e aconchegante! Sensacional para apreciar sem pressa a sua xícara de café.

Onde fica: Egelantiersgracht 12, 1015 RL Amsterdam, Países Baixos.
Site 'T Smalle  
5. FINEST COFFEE BLUSHING HOLLAND
O Finest Coffee Blushing, ou simplesmente Blushing, é uma cafeteria completa! O cardápio vai desde as diversas opções em cafés, frozens, além de chás, sucos super saudáveis, shakes, frutas, a famosa torta de maçã, e muitas opções de comidas para café da manhã, brunch e almoço.

O lugar é um luxo só! Como se não bastasse ter tanta delícia, o ambiente da cafeteria é bastante moderno e com uma decoração fashionista, cheia de estilo e conceitual.
Fica logo ao lado do Van Gogh Museum (Museu imperdível, que conta toda a história de vida do grande artista Van Gogh) e do Rijksmuseum (que é o Museu do Estado, com uma coleção repleta de arte e história). Os dois são realmente parada obrigatória para quem visita Amsterdam, além de claro, a Casa de Anne Frank! Fica a dica.

O atendimento do lugar foi super ok, com destaque para o flat white com scrambled eggs que foram realmente de lamber os talheres! A cafeteria conta com wi-fi gratuito.

Com certeza vale uma visita para quem está no roteiro dos Museus de Amsterdam, e precisa repor as energias!

Onde fica: Paulus Potterstraat 30A, 1071 DA Amsterdam, Países Baixos.
Site Finest Blushing Holland

Gostaram das dicas de cafés em Amsterdam?
Além das bikes, as cafeterias dominam por lá! =)
E já estamos preparando a Parte II com mais dicas, Aguardem! 

Nos Sigam nas Redes Sociais

Grão Do Dia   
- um pouco de café - um pouco de cor -
@graododia (instagram.com/graododia)
Facebook: facebook.com/graododia
Twitter: twitter.com/graododia 
Site/blog: www.graododia.com

segunda-feira, 13 de novembro de 2017

EU RECOMENDO // Comida peruana de qualidade em Trancoso

Pedro Henrique Melo (*)
Convidado especial do Gastronomix


“Em Trancoso, recomendo o “La Cevicheria”. Com decoração despojada que remete ao balneário, mas com pitadas de referências peruanas pops (nas almofadas e gravuras penduradas), o restaurante não impressiona à primeira vista. Parece mais um como tantos outros restaurantes locais. 
A grata surpresa se apresenta à medida em que os pratos começam a chegar, além dos preços serem honestos em emio a caros restaurantes da região. Pedimos a degustação “Trancoso for you”, uma explosão de sabores divididos em cinco pratos e uma sobremesa. 

A cozinha peruana dispensa apresentações. Mas o chef e proprietário peruano oferece muito mais do que ceviches: uma deliciosa mistura de ingredientes que eleva ao máximo a experiência de uma noite agradabilíssima. Excelente pedida pra quem aprecia frutos do mar. E está cansado das moquecas e bobós triviais de sempre. Voltarei e recomendo a todos”.
La Cevicheria
Estrada de Trancoso, 58, Porto Seguro - BA, 45810-000
Telefone: (73) 3668.2224  

(*) Pedro Henrique Melo é empresário.